Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.
Foto: divulgação

Subsecretário César Marques arrasta Manausmed para crise; assista aos vídeos.

César Marques, subsecretário da Manausmed, enfrenta um grande número de críticas em função das sérias denúncias sobre a precariedade e ineficiência dos serviços de saúde disponibilizados pelo Serviço de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos do Município de Manaus. Conforme revelado pelo vereador Rodrigo Guedes (Podemos) na última quarta-feira (28), o sistema apresenta uma situação bastante alarmante, a despeito do aumento na contribuição por parte dos servidores municipais.

Desde agosto do ano anterior, a contribuição para o Manausmed sofreu um incremento de 3% para 4,5%, fato anunciado pelo próprio César Marques, durante uma sessão na Câmara Municipal de Manaus (CMM) ocorrida em 10 de julho de 2023. A justificativa dada para este aumento seria a necessidade de equilibrar as finanças do fundo e proporcionar investimento.

Entretanto, surgiu um fato alarmante que, mesmo com o aumento da contribuição, os serviços de saúde não só não apresentaram melhoria, como também cessaram de ser disponibilizados aos servidores. Diversos funcionários relataram dificuldades para a realização de consultas e procedimentos médicos devido a falta de repasses para as clínicas e hospitais conveniados.

Representantes do Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical) até chegaram a fazer uma manifestação na CMM contra a precarização e a tentativa de privatização da Manausmed. O sindicato exige entendimentos acerca do cancelamento oficial da licitação que foi vencida pela rede de saúde Hapvida, que supostamente seria contratada para a assistência aos servidores municipais.

Em meio a pior gestão da Manausmed já vista, que coloca em risco suas vidas, o sindicato solicitou uma audiência pública de urgência na CMM para discutir os rumos do atendimento aos servidores municipais, enquanto o subsecretário César parece estar se fazendo de desentendido quanto à seriedade do problema.

A potencial chegada do Hapvida poderia ter auxiliado a suprir as lacunas no atendimento atualmente enfrentadas pela Manausmed. Contudo, César Marques afirmou que os servidores não mostraram interesse em ser atendidos pelo Hapvida, sem realizar uma pesquisa prévia entre eles.

Foi também revelado que César Marques recebe 15% dos faturamentos do Hospital Santa Júlia, o que levanta suspeitas de superfaturamento em cirurgias, como o cateterismo, que são cobrados a R$14.711,08, enquanto o valor original seria R$4.500. Esquemas de superfaturamento tambem foram identificados em materiais cirúrgicos.

O subsecretário César Marques agora será chamado a responder sobre todo problema gerado por sua administração e solucionar os problemas de saúde enfrentados pelos servidores municipais.

Fonte: https://cm7brasil.com/passando-a-limpo/bomba-subsecretario-cesar-marques-leva-manausmed-para-o-fundo-do-poco-veja-videos/

Outras notícias