Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Prisão preventiva de policial envolvido em agressão a babá e advogado em condomínio de Manaus é revogada pela Justiça

Revogada a prisão do investigador de Polícia Civil de Manaus acusado de agressão

Nesta segunda-feira (16), a juíza Eline Paixão e Silva Gurgel do Amaral Pinto, do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), determinou a revogação da prisão preventiva de Raimundo Nonato Machado, investigador de Polícia Civil de Manaus. Machado e sua esposa, Jussana Machado, estão sendo acusados de agressão às vítimas em um condomínio de luxo na cidade.

A decisão gerou consternação por parte da defesa da babá Cláudia Gonzaga Lima e do advogado Ygor de Menezes Colares, representados pelo escritório Jurídico Berçot e Berçot. Segundo eles, Raimundo é o responsável direto pelo ocorrido em agosto deste ano, seja como agressor ou como incentivador. Os advogados ressaltaram ainda que ele fornecera a arma usada para ferir Ygor.

As vítimas sofreram agressões físicas e carregarão, para sempre, as marcas emocionais desse trauma. A liberação do casal agressor antes mesmo da primeira audiência de instrução processual aumenta o sentimento de impunidade, insegurança e medo nas vítimas. Diante desse cenário, os advogados pediram que o Ministério Público do Amazonas recorra da decisão, a fim de garantir a justiça e deixar claro que o império da impunidade não será tolerado.

A mesma juíza, Eline Paixão, também havia revogado a prisão preventiva da professora de educação física Jussana Machado em setembro. A prisão foi substituída por medidas cautelares, como o uso de tornozeleira eletrônica e o recolhimento domiciliar noturno.

Até o momento, a defesa do casal não se pronunciou sobre essa nova decisão que revoga a prisão de Raimundo Nonato.

Outras notícias