Amazônia em Chamas: 149 Brigadistas Enviados Pelo Governo para Combater Incêndios Florestais

Nesta sexta-feira, 13 de outubro, o governo divulgou a iniciativa de enviar 149 brigadistas do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para fornecer suporte no enfrentamento dos incêndios florestais que assolam o estado do Amazonas.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), este mês de outubro registra o pior índice de queimadas dos últimos 25 anos no estado do Amazonas. O Inpe tem compilado esses dados desde 1998. Até a quinta-feira, 12 de outubro, haviam sido contabilizados 2.770 focos de calor ativos na região. A densa fumaça resultante desses incêndios obscureceu Manaus, elevando a cidade a uma das piores qualidades de ar do mundo e levando ao cancelamento de atividades presenciais em universidades.

Rodrigo Agostinho, presidente do Ibama, declarou que os brigadistas serão deslocados para o Amazonas entre a data do anúncio, sexta-feira, e a próxima segunda-feira, 16 de outubro. São 119 profissionais do Ibama e 30 do ICMBio, que se somarão aos esforços já em andamento.

Agostinho ressaltou: “Estamos reforçando o auxílio com a chegada de mais quase 150 brigadistas vindos de outras regiões do país para fortalecer as operações no estado do Amazonas. Estes brigadistas pertencem ao Ibama e ao ICMBio.”

Além disso, o presidente do Ibama informou que já existem 140 brigadistas do Ibama e do ICMBio atuando no Amazonas. Com o reforço anunciado, o número total de profissionais na operação subirá para 289. Até o momento, as multas aplicadas na Amazônia Legal devido a infrações contra a floresta totalizam quase R$ 3 bilhões.

O Ministro da Integração e Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, afirmou em coletiva que as previsões indicam que os incêndios no Amazonas podem persistir até o mês de novembro. Ele salientou que a situação na Amazônia representa um desafio significativo.

Além disso, o Ministro da Justiça, Flávio Dino, autorizou o uso de agentes da Força Nacional em municípios do Sul do Amazonas para combater as queimadas ilegais, incluindo Humaitá, Apuí, Boca do Acre, Lábrea e Manicoré. Em setembro, o governador do estado, Wilson Lima, decretou situação de emergência ambiental na tentativa de conter o desmatamento ilegal e as queimadas na região. O governo também anunciou a alocação de R$138 milhões para a dragagem dos rios Madeira e Solimões, a prestação de ajuda humanitária e o reforço das operações de combate a incêndios no Amazonas.

Outras notícias