eatro Amazonas era azul, em 1981. — Foto: Reprodução/Manaus de Antigamente

Manaus comemora 354 anos: desvendando as lendas urbanas da cidade ‘fofoqueira’ e do Teatro Amazonas azul

Manaus, a cidade “fofoqueira” e pioneira em muitos eventos históricos, completa 354 anos nesta terça-feira (24). Situada no coração da Floresta Amazônica, às margens do Rio Negro, Manaus teve um crescimento exponencial no século XIX devido à indústria da borracha. Durante todos esses anos, várias histórias permearam a memória da capital amazonense, e é importante separar o fato da ficção.

Uma das curiosidades sobre Manaus é a sua reputação de ser uma cidade “fofoqueira”. Mas engana-se quem pensa que esse costume surgiu recentemente. Jornais do século XIX já eram especializados em fofocas, e relatos de viajantes da época afirmam que o passatempo preferido dos manauaras era fofocar. No final do século XIX, surgiram jornais especializados em mexericos, com nomes curiosos como A Marreta, A Lanceta e A Farpa.

Outra curiosidade é que a comunicação entre Manaus e o Sudeste do Brasil era demorada durante muitos anos, devido ao transporte por embarcações. Por exemplo, a população da capital só soube da Proclamação da República seis dias depois, e a Independência do Brasil também demorou alguns dias para chegar aos manauaras. Isso porque, na época da borracha, o contato de Manaus era mais com o exterior do que com o resto do Brasil.

Uma história que sempre foi contada sobre Manaus é que ela foi a primeira cidade do Brasil a receber energia elétrica. No entanto, essa afirmação é contestada pelos historiadores. A energia elétrica já existia em outras cidades, como Campos dos Goytacazes, Rio Claro, Porto Alegre, Juiz de Fora, São Paulo, Curitiba e Maceió, antes de ser inaugurada em Manaus em 1896.

Outro mito que circula é que durante a época da borracha, as famílias mais ricas de Manaus lavavam suas roupas em Paris. Mas, na realidade, as principais lavanderias da cidade atendiam justamente essas famílias. Esse boato foi criado por uma historiografia que deu origem a mitos sobre a época da borracha. As famílias mais ricas passavam metade do ano em Portugal e a outra metade em Manaus, e por isso, dizia-se que lavavam suas roupas na Europa.

No que diz respeito à educação, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) é reconhecida como a universidade mais antiga do Brasil, fundada em 1909. Porém, já existiam cursos de ensino superior no Brasil desde o início do século XIX, como a Faculdade de Medicina da Bahia e a Faculdade de Direito do Recife. A Ufam foi a primeira instituição a oferecer cursos em várias áreas, o que a caracteriza como uma verdadeira universidade.

Um fato curioso sobre o famoso Teatro Amazonas é que ele foi pintado de azul durante os anos 1970, por insistência de um historiador que afirmava que essa era sua cor original. No entanto, a tinta não era de boa qualidade e começou a descascar um ano depois. Após um estudo de restauração, foi descoberto que a cor original do teatro era rosa, e desde então o tom rosa voltou ao suntuoso Teatro Amazonas.

Outra história interessante é a existência de um bairro conhecido como “cidade flutuante” em Manaus na década de 50. Próximo à Feira da Manaus Moderna, o bairro era formado por casas flutuantes que abrigavam comércios, restaurantes, consultórios médicos e dentistas, e oficinas mecânicas. No entanto, em 1966, a área foi demolida após declarações do governador Arthur Reis, que a considerou uma “vergonha para a civilização e o desenvolvimento de Manaus”.

Por fim, o Porto de Manaus, conhecido como Roadway, é o maior porto flutuante do mundo. Essa estrutura é capaz de acomodar navios de grandes dimensões e acompanhar os níveis das águas do Rio Negro nas cheias e vazantes. Além de ser um marco da engenharia, o porto tem grande importância econômica para o estado do Amazonas e foi tombado pelo Iphan.

Manaus comemora seus 354 anos com uma história rica e cheia de curiosidades. Esses fatos nos mostram como a cidade se desenvolveu ao longo dos anos e se tornou um importante centro cultural e econômico da região amazônica.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/10/24/cidade-fofoqueira-e-teatro-amazonas-azul-saiba-o-que-e-verdade-na-historia-de-manaus-que-celebra-354-anos.ghtml

Outras notícias