Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.
Manaus registrou o pior dia de fumaça na segunda-feira (6). — Foto: Bianca Fatim/g1

Fumaça em Manaus atinge pico na segunda-feira (6), após meses de encobrimento, revela Inpe

Encoberta desde agosto, uma forte fumaça atingiu Manaus na segunda-feira (6), de acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). A cidade enfrenta uma grave crise ambiental há três meses, com a seca severa e um grande número de queimadas nos estados vizinhos.

Imagens de satélite do Inpa mostram que a fumaça vem principalmente do Pará, estado vizinho ao Amazonas. O instituto utiliza um fotômetro solar para medir a quantidade de fumaça na região, e recentemente registrou um número altíssimo de 5.0.

A situação tem se agravado ao longo dos meses, com a fumaça encobrindo a cidade e dificultando a identificação do que é nuvem e o que é fumaça. A pesquisadora do Inpa, Karla Maria Longo, afirma que a situação desta segunda-feira foi ainda mais grave do que em outubro, e que a fumaça está saindo do Pará em direção ao Amazonas.

Desde agosto, a fumaça tem sido presente na atmosfera de Manaus, se intensificando ao longo dos meses. Em setembro, a fumaça chegou a encobrir pontos turísticos da cidade. Já em outubro, a situação piorou, com a fumaça permanecendo por vários dias e atingindo níveis preocupantes de poluição do ar.

No último sábado (4), a fumaça estava tão densa em Manaus que prejudicava a visibilidade, semelhante a uma intensa neblina que não se dissipava. No domingo (5), o fenômeno persistiu, e na segunda-feira (6), atingiu seu ápice.

De acordo com a pesquisadora, essa é a pior situação que ela já presenciou em seus 19 anos de trabalho no Inpa. A fumaça está deixando a cidade praticamente em escuridão, e a espessura ótica do ar está muito acima do normal para a estação úmida.

A população de Manaus espera por medidas urgentes para combater essa grave crise ambiental e garantir a saúde e bem-estar de todos. Os impactos dessa fumaça na qualidade do ar e na saúde das pessoas ainda são incertos, mas é necessário agir para minimizar os danos causados por esse fenômeno.

Fonte: https://g1.globo.com/am/amazonas/noticia/2023/11/07/encoberta-desde-agosto-manaus-teve-pico-de-fumaca-na-segunda-6-aponta-inpe.ghtml

Outras notícias