Foto: divulgação

Enfermeira grávida de 8 meses encontrada em situação revoltante; imagens no vídeo

Brasil – Uma tragédia abalou a comunidade de Alfredo Chaves, na região serrana do Espírito Santo, com a morte brutal de Íris Rocha de Souza, uma enfermeira de 30 anos, que estava grávida de 8 meses. Seu corpo foi encontrado às margens de uma estrada na localidade de Iracema.

O trágico acontecimento ocorreu por volta das 11h40 da última quinta-feira (11) e está sendo investigado pela Delegacia de Polícia (DP) de Alfredo Chaves. Segundo informações da Polícia Militar, o corpo foi descoberto na estrada que liga Matilde a São Bento de Ucrânia.

As circunstâncias exatas da morte de Íris ainda estão sendo apuradas, mas as autoridades informaram que não há indícios de envolvimento de membros da Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) no caso. A imprensa espírito-santense foi até o local do crime, onde a mulher foi encontrada. Veja vídeo:

A enfermeira, formada na Ufes e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas, foi velada e enterrada nesta terça-feira (16) no cemitério Jardim da Paz, em Serra. Íris deixa um filho de 8 anos.

A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) emitiu uma nota lamentando profundamente o falecimento de Íris Rocha de Souza. Além de sua dedicação à enfermagem, Íris era filha da servidora aposentada Márcia Rocha, que atuou por muitos anos na Superintendência de Comunicação da instituição.

O Conselho Regional de Enfermagem do Espírito Santo (Coren-ES) e a Federação Nacional dos Enfermeiros (FNE) também manifestaram pesar pela morte da enfermeira. O Coren-ES destacou que Íris dedicou sua vida ao cuidado e bem-estar dos pacientes, sendo vítima de um ato de violência que choca a todos.

O presidente do Coren-ES, Wilton José Patrício, expressou profundo lamento pelo crime e clamou por justiça, afirmando que o ato de extrema crueldade deixa um vazio imensurável na enfermagem do estado.

A FNE, por sua vez, indignou-se com o crime hediondo e exigiu que os responsáveis sejam responsabilizados urgentemente. A entidade se solidarizou com familiares, amigos e colegas de trabalho de Íris Rocha de Souza, prometendo lutar pela elucidação do caso e honrar o legado da enfermeira com dedicação à profissão.

Com informações via Cidade Alerta do Espírito Santo

Outras notícias