Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

CPI das ONG’s deve ser instalada no Senado dia 14 de junho e convocará indígenas que se opõem às entidades

Brasil – Deverá ocorrer neste mês a instalação de mais uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso Nacional, que irá investigar as Organizações Não-Governamentais (ONGs). A sessão para eleger o presidente e indicar o relator está agendada para o dia 14, às 14h. O acordo entre os senadores é para que o presidente do colegiado seja o senador Plínio Valério (PSDB-AM). Para a relatoria, o nome mais cotado por enquanto é o do senador Márcio Bittar (União Brasil-AC). Valério diz que a atuação do colegiado será para desvendar problemas na região da Amazônia. Autor do requerimento de criação, o senador Plínio Valério (PSDB-AM) provavelmente será o presidente da comissão. Ele tem dito em entrevistas que a CPI não será uma caça às bruxas às organizações nem terá atuação voltada a gerar desgaste com o governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Não vamos demonizar nenhuma ONG. Não é esse o objetivo. Existem ONGs sérias, essas serão preservadas. Vamos investigar aquelas que são denunciadas, que pegam dinheiro lá fora e pegam dinheiro aqui dentro, não prestam contas e gastam entre si 85% do que é arrecadam e prestam um grande desserviço ao país, principalmente à Amazônia. “, disse à Rádio Senado. “O objetivo é mostrar que muitas ONGs, principalmente as ambientais, se utilizam do nome Amazônia para ficar ricos entre os seus membros. Eles ficam ricos, mas quem os financia consegue o objetivo que quer: imobilizar a Amazônia, botar cadeados que não podemos cerrar. Cadeados ambientais. Hoje na Amazônia não se pode fazer nada”, disse o parlamentar. O autor do pedido de abertura da CPI disse ainda que a comissão não é contra o atual governo e que vai levantar dados de governos anteriores. “A CPI não é contra o governo, é uma CPI contra ONGs que nos prejudicam. Claro que nós vamos remontar governos anteriores do PT e vai ficar patente que o PT financiou”, destacou Valério. Essa é a terceira vez que Valério tenta emplacar a CPI das ONGs. Nas gestões anteriores, ela não saiu do papel. Até o momento existem quatro CPIs em funcionamento na Câmara e no Senado: Americanas, 8 de Janeiro, Apostas Esportivas e MST. Povo Baniwa No ano início do passado, lideranças do povo Baniwa, da Comunidade Castelo Branco, no município de São Gabriel da Cachoeira (AM), a 852 quilômetros de Manaus, se engajaram e emitiram um posicionamento por parte do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), para a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito destinada à investigação das Organizações Não Governamentais (ONGs) que atuam na Amazônia. Agora, representes da tribo devem estar presentes durante a CPI para testemunharem.

Fonte: Portal Cm7

Outras notícias